Filme: La Vita È Bella

Filme: La Vita È Bella

Compartilhe este post

O filme La Vita È Bella é um convite para ver o quanto a vida é bela mesmo em meio à tragédia e que é possível sorrir, mesmo em meio ao caos.

 

Tradução de Ivair Carlos Castelan

 

Texto adaptado da live de Giulia Nardini

Para o público brasileiro, este é um filme emocionante com um tema forte, mas a percepção que existe na Itália é diferente e explicamos o motivo nesta leitura.

La vita è bella é um filme que, sem dúvida, vale a pena assistir. Entrou para a história porque gerou grandes reflexões sobre a Segunda Guerra Mundial.

Sua história é contextualizada no campo de concentração de Auschwitz. Para quem ainda não viu, o filme retrata os dramas da Segunda Guerra Mundial vividos através dos olhos de um judeu.

A partir da perspectiva cotidiana das pessoas normais em uma cidade italiana, mostrando sua vida repleta de detalhes simples, até o drama da guerra.

É um filme polêmico porque é um convite para ver como é bela a vida, mas ao mesmo tempo fala da tragédia e do drama dos acontecimentos.

Saber sorrir no meio do caos

La Vita è Bella

 

Giosuè: “Mas por que cachorros e judeus não podem entrar, papai?”


Babbo é um termo que significa “papai”. Atualmente é usado em algumas cidades do sul e na Toscana.

 

 

 

 

Guido: “Ah, eles não querem judeus e cães. Ah, cada um faz o que quer, Giosuè … Tem uma loja lá, uma loja de ferragens, por exemplo eles não deixam os espanhóis e os cavalos entrarem… ”

Obviamente ele está brincando, e depois continua: “Ontem estive com um amigo meu, um chinês que tem um canguru, eu disse ‘Se pode entrar?’, Ele diz ‘Não, aqui os cineses e os cangurus não os queremos’. Ah, ele não gosta deles oh, o que posso te dizer, oh? “

Ce = aqui

li = os

vogliamo = queremos

Isto literalmente, em português, seria algo abstrato como: não aqui os queremos, ma che significa: aqui não queremos (nem os chineses nem os cangurus).

Neste filme, estamos na presença de um italiano que não é erudito; é um italiano de rua que se fala todos os dias. Essas são as estruturas normalmente utilizadas na Itália.

Este último diálogo, por exemplo, é muito informal, mas é exatamente isso que faz deste um filme, uma ótima forma de praticar, porque se fala apenas italiano e não há nenhum dialeto.

La Vita è Bella

 

Giosuè: “Mas na livraria todos podem entrar”.

Guido: “Não, a partir de amanhã a gente escreve também, olha! De quem você não gosta? “.

Giosuè: “Das aranhas. E você?”.

 

 

La Vita è Bella

Guido: “Para mim … os visigodos! E a partir de amanhã escreveremos: ‘Entrada proibida para aranhas e visigodos. Oh! E eu não aguento mais  ‘esses visigodos, ah chega!’

Os visigoti foi um povo que invadiu a Itália há muitos séculos.

Mi hanno rotto le scatole!: Eu não aguento mais eles.

Rompere le scatole: atrapalhar, encher o saco, incomodar.

 Basta!: chega!

 

Esta cena é um bom exemplo para entender o que estava acontecendo naquele período, e a maneira como o pai mostra as coisas ruins, mas, ao mesmo tempo, faz rir, porque é por meio das piadas que ele deixa o filho à vontade.

O pai explica de maneira muito natural o fato de que cada um tem seus próprios desprazeres, sem se colocar na posição de quem tem medo e é vítima. Difícil né?

Um filme surreal

Guido faz seu papel de pai, está sempre protegendo o filho.

Ao fazer os discursos que faz, sempre brincando, está implicitamente dizendo ao filho que está cuidando dele.

Em todas as situações do filme, o personagem interpretado por Benigni mantém a mesma leitura: mostrar imagens horríveis e difíceis transformando-as em risos, concentrando-se no lado bom da vida.

Como os italianos veem o filme “La vita è bella”

Na Itália, existe o momento do Dia da Memória, um aniversário estabelecido para lembrar não só o que aconteceu às vítimas do Holocausto, mas também tudo o que aconteceu durante a Segunda Guerra Mundial.

Desde pequenos começamos a conversar e a discutir este tema, e o filme La vita è bella faz parte dele.

Giulia Nardini lembra que quando era pequena, as professoras mostravam os testemunhos de sobreviventes de guerra na escola; contavam que estiveram em campos de concentração quando tinham a idade dela, naquela época entre 6 e 8 anos.

É uma parte muito delicada da história.

De onde vem a mensagem de “a vida é bela”, mesmo durante a guerra?   

Benigni provavelmente se tornou famoso fora da Itália graças a este filme, mas ele é um diretor muito famoso, comediante e muito ativo, artisticamente falando.

Ele é um artista completo, o que significa que, de qualquer ângulo que você o observar, você encontrará algo. Ele é uma pessoa de enorme cultura.

Giulia lembra que quando era jovem, na Itália falava-se muito sobre Berlusconi e Benigni estava quase sempre na TV interpretando-o e satirizando-o, mas ao mesmo tempo informando as pessoas, sempre com uma mensagem, ao estilo “a vida é bela”.

Em tudo o que Benigni faz: poesia, literatura e Divina Comédia (às vezes também interpreta Dante Alighieri), ele sempre busca transmitir uma mensagem, falando das coisas mais difíceis possíveis, mas sempre oferecendo energia, vitalidade e uma leitura diferente.

“La vita è bella”: polêmica?

La vita è bella é um filme importante na Itália, muitos o viram várias vezes, alguns adoram, outros odeiam.

A polêmica está no fato do filme ser engraçado! E muitos na Itália dizem que não pode ser assim, que é um assunto sério que não deveria ser engraçado.

Outros dizem que é um filme que deve ser assistido, que não é um riso que tira a importância dos fatos e qualquer coisa que você pode extrair dele, qualquer interpretação ou análise, é construtiva e ajuda a lembrar e entender uma parte da história.

Este filme, assim como o seu diretor, Benigni, estão muito presentes na cultura italiana, sobretudo porque ele sempre consegue administrar assuntos muito complexos, delicados e polêmicos, comovendo as pessoas.

La vita è bella é um filme que olha as dificuldades, mas com clareza e com um sorriso.

Festival de Cinema italiano no Brasil

 

Se você quiser saber mais sobre o mundo do cinema italiano, este festival oferece todos os anos filmes premiados como La vita èLa Vita è Bella bella e outros inéditos.

Em tempos normais, com este festival você pode ver os filmes gratuitamente quantas vezes quiser, nas universidades, nas áreas municipais, etc.

Neste ano, 2020, devido à pandemia da coronavírus, aconteceu online, exibindo os filmes em streaming.

Vale a pena ficar de olho neste festival, pois existem alguns filmes bons, de ótima qualidade e disponíveis gratuitamente.

“La vita è bella”… e também ajuda a melhorar o italiano

É um filme altamente recomendado, claro. Mas no que se refere ao aprendizado da língua, Giulia sugere ver primeiro a versão italiana com legendas e depois de algumas semanas (não no mesmo dia claro porque é um filme muito intenso), vê-lo sem legendas.

Porque? Porque é um filme muito emocionante, mas principalmente porque usa a língua italiana corretamente, sem dialetos.

Além disso, ele não é um italiano erudito, poético, sofisticado ou literário; é um italiano que se fala todos os dias nas ruas e as estruturas gramaticais utilizadas estão corretas.

Conselho geral

É muito útil escolher um ou dois filmes que você já sabe que vai ver várias vezes. É mais valioso ver o mesmo filme cinco vezes do que ver vários filmes, em que apenas algumas coisas são entendidas.

Assim como é mais útil ler o mesmo texto até oito vezes do que ler oito textos diferentes. Isso do ponto de vista linguístico; já, do ponto de vista cultural e para expandir horizontes e emoções humanas, é melhor ver filmes diferentes, ler textos diferentes e ouvir músicas diferentes.

De um ponto de vista exclusivamente linguístico, ver o mesmo filme várias vezes e ler o mesmo texto irá garantir uma grande melhoria do seu italiano.

Não se frustre por não aprender de primeira

Às vezes você pensa: “Não entendi bem esse texto, vou ler outro”, mas o ideal é pegar o mesmo texto, melhor ainda se for um texto que tenha uma tradução em português e com atividades didáticas ou algum material complementar, para compreender o sentido geral do conteúdo sem ficar frustrado.

Não precisa necessariamente ter tradução, mas pelo menos uma descrição do conteúdo. O importante é reler sem procurar outro texto.

O mesmo pode ser feito com músicas, vídeos e exercícios. Por exemplo, existem mais de mil exercícios no curso Esperienza.

Às vezes, os alunos ficam frustrados porque atingem uma pontuação muito baixa após os exercícios, e o que deve ser feito? É necessário estabelecer limites na ordem do dia, a fim de refazer todo o exercício.

A questão não é a primeira pontuação que você tira, mas sim repetir tudo para resolver problemas e consolidar conhecimentos.

Estimativas de pesquisadores dizem que, atualmente, o ser humano absorve em um dia a mesma quantidade de conhecimento que, durante a idade média, absorvia em um mês.

Portanto, duas maneiras simples de lembrar e absorver novas informações de linguagem são por meio de:

  1. A emoção positiva
  2. As repetições

Também funciona com músicas, você tem que ouvir, parar e repetir. Nas primeiras vezes, você pode errar 90% das palavras, mas não precisa parar. É o que nos diz o filme  La vita è bella: aproveite o desafio sem se importar com o momento.

Por fim, a ideia não é comparar a tragédia mencionada no filme com o aprendizado de uma língua, mas captar sua mensagem: olhar as coisas difíceis da vida, os desafios, sempre de forma positiva e construtiva.

Se nossa mente está focada em algo positivo, ela funciona bem e pode nos ajudar a superar as dificuldades que surgem na vida.

Curiosidade

O bairro judeu mais antigo do mundo está localizado em Veneza.

É denso, é interessante, as pessoas ainda vivem lá e você sente um clima intenso e diferente. É mais silencioso e mais autêntico do que os locais turísticos típicos; aqui você pode comer comida típica judaica e ao mesmo tempo ver pessoas vestindo roupas tradicionais, razão pela qual este lugar é único e está localizado na Itália.

O ideal seria visitar esse bairro e depois ir ver a Praça de São Marcos.

Curiosidades sobre o filme “La Vita è Bella”

Venceu três Prêmios Oscar em 1999 por melhor:
  • Filme em língua estrangeira
  • Ator protagonista (Roberto Benigni)
  • Trilha sonora (Nicola Piovani)
Roberto Benigni foi o primeiro a ganhar o Oscar de melhor ator masculino por filme em língua estrangeira. Veja aqui como ele foi corajoso e simpático ao fazer seu discurso em inglês.
O título do filme vem de uma citação de Lev Trotsky, o famoso político russo exilado por Stalin.
Roberto Benigni e Nicoletta Braschi, que faz o papel de Dora, são marido e mulher também na vida real.

Fonte das fotos: account Instagram: @lascimmiapensa.com_

NOTA: Si potrebbe introdurre l’audio con la canzone principale della colonna sonora del film, si trova nella cartella insieme all’articolo. Se si può fare, possiamo scrivere all’inizio del testo un cosa del tipo “fai clic e ascolta la musica mentre leggi l’articolo”.

 

Leia também o artigo em italiano: Film: La Vita È Bella

Faça o exercício desse artigo: Esercizi

Veja também:

Storia di Aline Aquino Gargiulo

“Ho un debito con l’Italia”   Con queste parole inizia la storia di Aline Aquino Gargiulo. Aline è una donna sempre sorridente, molto educata e

Leia mais

Roma

ROMA Para quem ainda não conhece Roma, descobrirá que é impossível caminhar de um ponto a outro sem explorá-la  Texto elaborado a partir da live

Leia mais

Itália da Giulia · 2023 © Todos os direitos reservados