Mem – Memoria E Migrazioni: A Marca Do Passado

Marca Do Passado

Compartilhe este post

Tradução de Ivair Carlos Castelan

 

Imagine que você está na frente de um barco do final do século XIX e prestes a conhecer a marca do passado..

 

Você anda um pouco e antes de entrar eles lhe dão um passaporte antigo, mas com uma identidade totalmente nova, com uma história de vida que não é a que você tem agora, talvez com filhos e um marido ou esposa que você não tinha antes.

 

E, junto com o seu passaporte, dão a você uma passagem só de ida para um destino desconhecido.

 

De um momento para o outro, você começa a ver tudo em tons de sépia e a viajar no passado.

 

Você começa a conhecer aquele transporte aquático onde vai viver vários meses, você dá início a um percurso e descobre que lhe foi dada uma cabine para dormir com a sua família e outras pessoas.

 

É um quarto pequeno com camas pequenas, lençóis amarelados e espaços reduzidos; se você tiver sorte, também terá uma pia.

 

Você continua sua jornada pelos corredores deste barco e vê muitas pessoas de todas as idades, pessoas que, como você, fogem da fome e da miséria.

 

Você chega em uma sala muito maior e vê um longo refeitório, onde você comerá exatamente a mesma refeição em pratos de latão, por sabe-se lá quantos dias.

 

Mas você está feliz por estar neste barco, por comer com tantas outras pessoas que tentam imaginar e falar sobre como será sua nova vida no novo mundo.

 

Pensam também em qual mala vão colocar a saudade das pessoas que deixaram para trás, naquela Itália destruída.

 

Neste momento, o passado e o presente se cruzam e essa nostalgia passa a ser sua também, sem você perceber.

 

E você sabe por quê? Porque agora, com esse passaporte que deram a você, se tornou seu antepassado ou o testemunho de um dos tantos corajosos imigrantes italianos em busca de sorte.

 

Mem – Memoria E Migrazioni – A Marca Do Passado é uma experiência real em Gênova

 

O que estou lhe contando não é apenas um exercício de imaginação, é uma experiência real, ela existe e pode ser vivida em Gênova, em um espaço chamado MEM – Memoria e Migrazioni, um roteiro do Galata Museo del Mare, pertencente aos Mu.MA – Istituzione Musei del Mare e delle Migrazioni.

 

Devido à sua história e localização geográfica, Gênova pode ser considerada a capital italiana da emigração por ter sido o principal porto de partida de milhares de italianos, desde o início do século XIX, por isso ela traz nítida em sua história e memória a marca do passado..

 

Nos museus genoveses “del Mare e delle Migrazioni”, você poderá viver e sentir na pele a experiência da longa jornada dos emigrantes italianos nas Américas e se tornar um dos protagonistas desse fenômeno, em um caminho repleto de histórias, dados e depoimentos.

 

Esse movimento de emigrantes italianos tem um nome específico: a Grande Emigração e é assim chamado porque mais de 14 milhões de emigrantes (quase como a cidade de São Paulo vazia) deixaram a Itália entre 1876 e 1915.

 

Voltemos ao passado e à nossa viagem de barco.

 

Finalmente chegamos ao nosso destino!

 

Nesta parte da viagem você descobre, dependendo da identidade que lhe deram no seu passaporte falso, a que país você chegou com toda a família: pode ser Estados Unidos, Argentina ou Brasil.

 

Agora os mais sortudos e os sobreviventes da jornada podem começar uma nova vida fazendo qualquer tipo de trabalho.

 

Infelizmente, outros não terão permissão para entrar no país de destino porque os oficiais descobriram que eles têm alguma doença, que não são fisicamente adequados ou por muitos outros motivos. Então, eles terão que encontrar uma maneira de voltar para casa.

 

Assim começa a história de uma comunidade cuja cultura e identidade hoje é reconhecida e valorizada internacionalmente, mas que para alcançar isso teve que trabalhar muito e lutar contra todo tipo de estereótipos, discriminações e humilhações.

 

A viagem de barco acabou.

 

Agora você é você mesmo, você recuperou sua identidade e está feliz por não ter a vida de um daqueles passageiros.

 

Mas, sem dúvida, aquela “viagem” de barco fez-nos compreender, como ser humano, um pedaço da história migratória italiana graças a essa marca do passado.

 

Sites de interesse:

 

Mu.MA – Istituzione Musei del Mare e delle Migrazioni

 

MEM – Memoria e Migrazioni

 

Artigo sobre a história da emigração italiana

 

Leia também o artigo em italiano: Memoria E Migrazioni: L’impronta Del Passato

Faça o exercício desse artigo: Esercizi

Veja também:

Storia di Aline Aquino Gargiulo

“Ho un debito con l’Italia”   Con queste parole inizia la storia di Aline Aquino Gargiulo. Aline è una donna sempre sorridente, molto educata e

Leia mais

Roma

ROMA Para quem ainda não conhece Roma, descobrirá que é impossível caminhar de um ponto a outro sem explorá-la  Texto elaborado a partir da live

Leia mais

Itália da Giulia · 2023 © Todos os direitos reservados