Saúde na Itália: Uma Volta no Pronto Socorro

Compartilhe este post

Tradução de Ivair Carlos Castelan

Descobri como funcionava a saúde na Itália no momento em que tive uma dor fortíssima no meu lado esquerdo. Já há alguns dias sentia muita dor na região da lombar, mas achava que isso fosse por causa de trabalhar tanto tempo sentada.

Pouco a pouco essa dor se tornou cada vez mais intensa… e a partir de episódio eu passei a saber como funciona o sistema de saúde na Itália. No dia do meu aniversário, essa dor era tanta que até parecia um prego emperrado em minha bacia, como se alguém o martelasse com todas as suas forças. Até que se tornou insuportável, a ponto de eu não conseguir andar em linha reta.

Assim, à noite, fui ao Pronto Socorro de um hospital de Milão. Na recepção me solicitaram todos os meus dados e meu cartão de saúde. Cartão de saúde? Era a primeira vez que ouvia falar e, obviamente, não tinha este documento porque naquele momento estava na Itália como turista.

Atenderam-me do mesmo modo e me deram um cartão de saúde provisório, colocando em meu pulso uma pulseira de cor branca e por fim me pediram para aguardar na sala de espera. Eu era a mais jovem naquela sala e podia sentir os olhares dos velhinhos presentes que me perguntavam, sem palavras, porque eu estava naquele lugar.

Eu, todavia, aguardava tranquila com meu “prego” no lado direito da coluna. Desse modo se passaram mais ou menos 2 horas. Nas paredes da sala estavam pendurados vários cartazes e em um estava escrito:

A cada paciente é dado um código de cor com base na gravidade clínica avaliada:
Código vermelho: muito crítico, com risco de vida, prioridade máxima, acesso imediato ao tratamento.
Código amarelo: mediamente crítico, presença de risco evolutivo, potencial risco de vida, serviços não adiáveis.
Código verde: não crítico, falta de riscos evolutivos, serviços adiáveis.
Código branco: pacientes não críticos e não urgentes.

Isso explicava a pulseira, tipo discoteca, que me colocaram no braço esquerdo.

Enfim, chegou a minha vez

Quando chegou a minha vez, o médico me pediu para descrever tudo o que eu sentia: “Boa noite, senhorita, porque está aqui?”. Ele tinha uma energia incrível, era muito veloz no falar e fazia várias coisas contemporaneamente. Enquanto eu falava, de repente ele pegou de uma gaveta um pequeno recipiente de plástico e tinha uma tira de papel na mão. Me pediu para fazer xixi naquele recipiente para fazer um exame muito rápido de urina. Isto me deixou realmente impressionada, uma vez que era a primeira vez que eu via algo do gênero.

Depois de alguns minutos, o médico inseriu a tira de papel no meu xixi e pode ver que eu estava com uma infecção urinária. Mas qual era a relação do “prego” que eu sentia na minha coluna e que me fazia tanto mal? Tratava-se de um cálculo renal.

Por fim, o médico me deu algumas orientações e um tratamento para fazer. Antes de sair do hospital, o médico me disse que eu tinha um Código branco (era a cor da minha pulseira) e que eu devia pagar na recepção um total de 25 euros. Este foi o meu primeiro encontro com o sistema de saúde italiano, ou melhor com o sistema de saúde público.

Conheça a receita “impegnativa”

Se você quer viver na Itália, deve saber que para os residentes existe o Serviço Nacional de Saúde (SSN). Se trata de um sistema que inclui todos os serviços de saúde e também designam a você um médico de família (ou clínico geral), dependendo da área em que você mora. Este será o médico que sempre o acompanhará por qualquer problema de saúde. Se após uma consulta, ele considerar necessário fazer exames ou ir a um especialista, lhe fará uma receita que formalmente se chama “impegnativa*”.

*“Impegnativa” é um tipo de documento emitido apenas por médicos que é usado para prescrever consultas a outras especialidades médicas (no Brasil é comumente chamado encaminhamento médico) ou para prescrever medicamentos (no Brasil é chamado de receita médica). Portanto, existem dois tipos diferentes de “receitas”: aquelas para visitas a outros especialistas e aquelas para a compra de medicamentos.

Esta última, na prática, é uma folha com os seus dados pessoais e do seu médico, o motivo da consulta ou o exame específico que você deverá fazer em um hospital ou instituição conveniada ao SSN. Essas receitas (Optou-se pela tradução de “impegnativa” como receita) podem ser de duas cores: branca ou vermelha.

Certamente agora, você está se perguntando o que deve fazer com estes papéis. Bem, você simplesmente deve tê-los com você no momento em que ligar para marcar o horário da consulta com o especialista ou para os exames médicos.

O meu parecer sobre a saúde na Itália

Até agora, minha experiência com o sistema de saúde na Itália é muito positiva e percebo que se trata de um sistema organizado e eficiente. Como todas as coisas, não é perfeito. Vale dizer que as esperas podem ser longas; por exemplo, você pode esperar meses por uma simples consulta com um dermatologista. Existem tantas pessoas que usam esses serviços, especialmente os idosos, que os médicos não são suficientes para atender a todas as demandas.

A solução se traduz em “paciência”; é necessário ter muita paciência, não ficar irritado e aprender a administrar os prazos. Mas de uma coisa vocês podem ter certeza: se você tiver uma urgência, no hospital eles farão a consulta certa, na hora certa. Naturalmente, os serviços de saúde privados também existem. Aqui os preços são muito mais altos do que os públicos. Mas, é uma opção a considerar se a sua paciência for mínima e o dinheiro não for um problema.

Gostou de conhecer um pouquinho mais sobre como funciona o sistema de saúde na Itália? Quer saber muitas curiosidades que envolvem o universo da cultura italiana? Então Você também pode gostar desse tema: Inverno na Itália

Leia o artigo em italiano: Salute in Italia

Faça o exercício deste artigo: Exercício

Veja também:

Storia di Aline Aquino Gargiulo

“Ho un debito con l’Italia”   Con queste parole inizia la storia di Aline Aquino Gargiulo. Aline è una donna sempre sorridente, molto educata e

Leia mais

Roma

ROMA Para quem ainda não conhece Roma, descobrirá que é impossível caminhar de um ponto a outro sem explorá-la  Texto elaborado a partir da live

Leia mais

Itália da Giulia · 2023 © Todos os direitos reservados