A organização do estudo – Parte 2

organização do estudo

Compartilhe este post

Texto de Carla Bottino

Revisão de Consuelo Peruzzo

Texto organização do estudo – parte 2 – baseado nas duas lives realizadas pela Giulia: aqui vai a parte dois da live.

Na primeira parte do texto falamos sobre a motivação para aprender uma língua, a meta a ser alcançada e o planejamento para alcançá-la com base no percurso a ser realizado e na disponibilidade de tempo de cada aluno. 

Nesta segunda parte falamos sobre a importância de ter um método de estudo.

 

Por que é importante ter um método de estudo? 

 

Geralmente a gente gasta mais tempo fazendo aquilo que a gente gosta mais. Isso acontece com todas as pessoas.

É gostoso ouvir música italiana, é divertido assistir a um filme, é interessante ler um livro ou um jornal, mas para muitas pessoas é muito difícil escrever em um novo idioma e é ainda mais difícil falar ou conversar nessa nova língua. E é assim para a grande maioria de pessoas que está aprendendo um novo idioma.

Quem estuda sem um método pode focar em materiais errados e, pior, pode desenvolver alguns gaps.  Ou seja, em função de fazer mais vezes aquilo que o aluno gosta mais, ele pode adquirir algumas habilidades e, com o tempo, ficar cada vez melhor nelas e aumentar as lacunas.

É como se o aluno entrasse em um buraco em que ele compreende praticamente tudo e não produz quase nada.  Acontece o que pode ser visto na tabela abaixo.

Se vocês começaram a leitura a partir desta segunda parte, é importante saber que na primeira parte do texto explicamos que quando se aprende uma nova língua, o estudante deve adquirir 5 habilidades: compreensão oral (CO), compreensão escrita (CE), produção escrita (PE), produção oral (PO) e interação intercultural (IC). 

Infelizmente, o italiano é uma língua que permite um desenvolvimento maior de algumas habilidades em relação às outras. O estudante consegue desenvolver uma boa compreensão e, normalmente, acontece que a produção escrita se torna a habilidade mais fraca. Quando a diferença é muito grande entre o que ele entende e o que ele escreve, acaba gerando uma forte desmotivação no estudante. 

Certamente vocês, alunos que estão lendo este texto, conhecem pessoas que estudaram muitos anos uma língua, entendem tudo, leem muito bem e quase não falam. Esse é o perigo de não ter um método de estudo, uma organização do estudo.

 

Como evitar as lacunas e trabalhar a  organização do estudo?

 

Para evitar que o aluno seja muito bom em compreensão oral e tenha uma produção insuficiente é preciso dividir bem o tempo entre as atividades. É preciso ouvir, ler, escrever, falar e interagir com nativos.

 

Algumas dicas para a organização do estudo 

 

É importante organizar o tempo de estudo e não as tarefas.

Um erro muito comum ao organizar o estudo é querer priorizar as tarefas, ou seja, os módulos, as atividades ou os capítulos, quando o ideal seria utilizar a divisão do tempo. 

O importante é saber quanto tempo por dia (ou naquele dia) vocês vão estudar e dividi-lo nas 5 habilidades: compreensão oral, compreensão escrita, produção escrita, produção oral e interação intercultural.

Por exemplo, se vocês querem ver um vídeo no YouTube, é importante que esse vídeo seja adequado ao nível de compreensão de vocês. Seria interessante assistir ao vídeo, ler os comentários, fazer um resumo sobre o conteúdo do vídeo e gravar um áudio (ou um vídeo) contando sobre o que vocês assistiram. 

A grande maioria das pessoas não escreve e não fala, mas a produção, tanto escrita quanto oral, é uma etapa fundamental para poder, por exemplo, identificar os erros e desenvolver todas as cinco habilidades. É através da produção dos alunos que os professores podem avaliar como avança o aprendizado de cada um.

A quinta habilidade – o da interação intercultural –, o aluno a adquire ao ler um jornal italiano, ou visitar perfis nas redes sociais de nativos italianos. Há muita gente que segue perfis de brasileiros que moram no exterior; isso pode ser interessante para conhecer um pouco da cultura local, mas não e o mesmo que conversar e interagir com nativos. 

Todas as vezes que vocês forem estudar italiano, dividam o seu tempo nas 5 habilidades. Não precisa dividir o tempo igualmente, mas é importante contemplar todas as habilidades e na ordem correta: compreensão oral, compreensão escrita, produção escrita, produção oral e interação intercultural.  Seguindo esse movimento as cinco habilidades crescerão juntas.

organização do estudo

 

Outras dicas para o estudo

 

Escolher um ambiente confortável, bem iluminado, silencioso, sem muitas distrações.

Ter todo o material por perto é importante, pois vocês podem sempre precisar consultar materiais antigos (folhas, exercícios, passados) e o vocabulário já adquirido.

Ativar os 5 sentidos! Estudos indicam que cheiros podem ativar a memória, por exemplo. A audição e visão estão sempre mais ativados, mas tenham, por perto, algo para ativar o tato: pode ser uma bolinha antiestresse, um caderno com textura.

Ativem também o paladar com um café ou uma fruta antes da aula. Já que as pesquisas mostram que estudar com um cheiro pode fazer muito bem na ativação da memória, usem uma vela para perfumar o ambiente ou um hidratante para as mãos, mas não mudem os cheiros.

O cérebro precisa relacionar um cheiro específico às aulas de italiano, precisa reconhecer os estímulos. 

 

Algumas premissas importantes para lembrar:

 

  • aprender uma língua exige horas de aula, horas de estudo, ou seja, muito tempo;
  • organizar seu estudo por horas e não por atividades (módulos, capítulos);
  • respeitar a ordem das atividades a serem feitas no tempo que você tem disponível e contemple todas as 5 habilidades;
  • utilizar materiais de acordo com o seu nível;
  • fazer o seu planejamento: é um contrato que o aluno tem com ele mesmo e todas as vezes que alguém se compromete com as suas metas, se torna mais fácil alcançá-las;
  • estabelecer metas alcançáveis e tangíveis.

 

Leia também o artigo em italiano: Organizzazione Dello Studio – Parte 2

Faça o exercício desse artigo: Esercizi

Veja também:

Storia di Aline Aquino Gargiulo

“Ho un debito con l’Italia”   Con queste parole inizia la storia di Aline Aquino Gargiulo. Aline è una donna sempre sorridente, molto educata e

Leia mais

Roma

ROMA Para quem ainda não conhece Roma, descobrirá que é impossível caminhar de um ponto a outro sem explorá-la  Texto elaborado a partir da live

Leia mais

Itália da Giulia · 2023 © Todos os direitos reservados