Sobrevivência No Exterior: As Primeiras Coisas A Fazer Para Quem Se Muda Pra Itália

Sobrevivência No Exterior

Compartilhe este post

Tradução de Ivair Carlos Castelan

25 de dezembro de 2014, Caracas. Eu e meu noivo estamos pintando a porta do meu quarto, toda mordida pelo meu cachorro, porque em alguns dias deixarei o apartamento para me mudar para a casa dos meus pais, em La Grita, cidade próxima à fronteira com a Colômbia.

25 de julho de 2015, Milão. Estou comemorando meu casamento e meu primeiro mês na Itália.

Pensando nesses cinco anos como emigrante na Itália, posso dizer que os primeiros meses de sobrevivência no exterior – talvez eu diria as primeiras semanas – foram fundamentais para dar um sentido positivo à minha experiência.

Estas são as 6 coisas que eu recomendo que você faça para se ambientar rapidamente na Itália e tornar sua sobrevivência no exterior inesquecível

  1. Ter um projeto de vida 

Pode parecer um conselho banal, mas conheci muitos imigrantes que se mudaram para a Itália sem um plano de vida específico e que, por esse motivo, tiveram muitas dificuldades em permanecer na Itália.

Viver na Itália, como em qualquer outro país, é muito diferente de ser um turista.

Você precisa pensar em seu plano de vida antes de se mudar e deve ser um projeto em que você acredite bastante para que sua sobrevivência no exterior seja uma experiência única.

Este é o primeiro passo real e deve ser feito antes da transferência.

  1. Regularizar a situação diplomática

Assim que você desembarcar na Itália, é essencial seguir as etapas institucionais e diplomáticas necessárias para regularizar sua situação.

90 dias de visto de turista passam muito rapidamente! Portanto, não perca tempo e vá imediatamente regularizar seus documentos.

  1. Falar italiano e em italiano

Um erro que vejo com frequência é pensar que um conhecimento básico de italiano é suficiente para poder sobreviver no trabalho e na vida quotidiana, porque

– italiano é fácil;

– certamente poderei falar em inglês;

– meu marido / esposa / namorado / tia / primo vai me ajudar …

Garanto-lhe que o italiano falado e escrito no ambiente de trabalho e na universidade não é tão simples, você precisa se preparar bem.

Ainda hoje, depois de cinco anos, estou aprendendo a escrever e-mails de forma correta para poder passar aos meus clientes a minha melhor imagem.

Também asseguro que o inglês não é tão difundido e falado quanto você imagina.

Mesmo em uma cidade grande como Milão, existem lojas e serviços públicos onde eles lutam para falar inglês … imagine-se nas cidades menores!

É claro que a Itália é um país turístico e uma potência industrial, mas não confie no inglês para comprar frutas e legumes na loja perto de casa!

  1. Planeje suas despesas 

A Itália é um país que apresenta muitas diferenças em termos de custo de vida.

Certamente não é novidade para um brasileiro, acostumado à grande diversidade do Brasil.

Aconselho-o também a começar, desde os primeiros dias, a ter sob controle despesas e, se possível, planejá-las com antecedência para sua sobrevivência no exterior.

Por exemplo, é bom saber que o aluguel de uma quitinete pode custar 700 euros por mês em Milão, mas também pode cair para 500 euros se você morar a 30 quilômetros de Milão.

Sem mencionar a realidade longe das grandes cidades, onde uma quitinete pode custar 300 euros por mês!

  1. Registre-se com um médico de família

Na Itália, a saúde é pública e eu recomendo que você se registre, imediatamente, na lista do médico de família ou no médico que você se trata mais próximo.

É um médico especialista em medicina geral que presta assistência gratuita em todo o território nacional.

Vá aos escritórios do Serviço Nacional de Saúde em sua área e peça para se registrar na lista de um dos médicos de família que atende perto de você.

  1. Experimente comidas diferentes 

Conselho extra, mas você verá que será muito apreciado.

A Itália, devo lembrar você, mesmo que já saiba muito bem, não se trata apenas de pizza, macarrão e sorvete.

Por que digo isso? Porque pizza, macarrão e sorvete são tão bons que você corre o sério risco de comer apenas esses alimentos e, portanto, ganhar peso rapidamente!

É verdade que os italianos comem macarrão e pizza com muita frequência, mas comem muitas outras comidas e alimentos que lhes permitem manter a forma naturalmente (a Itália é um dos países do mundo com maior expectativa de vida).

Assim, desde os primeiros dias de sua transferência, acostume-se a experimentar e comer as muitas variedades de cereais, frutas, legumes, carne e peixe que os italianos comem.

Para leitores vegetarianos ou veganos, não se preocupem, na Itália vocês também comerão muito bem!

Leia também o artigo em italiano: Sopravvivenza all’estero

Faça o exercício desse artigo: Esercizi

Veja também:

Storia di Aline Aquino Gargiulo

“Ho un debito con l’Italia”   Con queste parole inizia la storia di Aline Aquino Gargiulo. Aline è una donna sempre sorridente, molto educata e

Leia mais

Roma

ROMA Para quem ainda não conhece Roma, descobrirá que é impossível caminhar de um ponto a outro sem explorá-la  Texto elaborado a partir da live

Leia mais

Itália da Giulia · 2023 © Todos os direitos reservados